TJSC Busca Textual

Provimentos, Circulares e Ofícios Circulares

documento original
Categoria: Circular
Compilado: Não
Número: 239
Data: Thu Dec 06 00:00:00 BRST 2018
Ano: 2018
Subdivisão: Judicial e Extrajudicial
Anexo: Circular CGJ n. 239-2018.pdf










Íntegra:



Atenção: A versão HTML deste documento é gerada de forma automática e a apresentação abaixo pode conter formatação divergente do documento original. Para acesso ao documento, em seu formato original, clique aqui para iniciar o download.



CIRCULAR N. 239 de 6 DE DEZEMBRO DE 2018



Ação: Pedido de Providências/PROC



Requerentes: Corregedoria Nacional de Justiça - CNJ e outros



FORO EXTRAJUDICIAL. ATO NORMATIVO. CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. CONSULTA AO REGISTRO CENTRAL DE TESTAMENTOS ON-LINE (RCTO) PARA PROCESSAMENTO DOS INVENTÁRIOS E PARTILHAS JUDICIAIS E EXTRAJUDICIAIS. OBRIGATORIEDADE. CIENTIFICAÇÃO AOS MAGISTRADOS E DELEGATÁRIOS CATARINENSES.



         Senhores Juízes Diretores do Foro,



         Senhores Juízes com competência em família, sucessões e registros públicos,



         Senhores Delegatários de serviços notariais, e



         Senhores Chefes de Secretaria,



         Comunico os termos do parecer e da decisão proferidos nos autos n. 0001051-22.2018.8.24.0600, que trata de obrigatoriedade de consulta ao Registro Central de Testamentos On-line (RCTO) para processamento de inventários e partilhas judiciais e extrajudiciais, nos termos da decisão prolatada nos autos n. 0002936-66.2016.2.00.0000, do Conselho Nacional de Justiça.



                      Florianópolis, 6 de dezembro de 2018.



[assinado digitalmente]



Roberto Lucas Pacheco



Corregedor-Geral do Foro Extrajudicial



PARECER



Ação: Pedido de Providências



Requerente: Corregedoria Nacional de Justiça - CNJ e outros



    PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. CORREGEDORIA NACIONAL DE JUSTIÇA. OBRIGATORIEDADE DE CONSULTA AO REGISTRO CENTRAL DE TESTAMENTOS ON-LINE (RCTO) PARA PROCESSAMENTO DE INVENTÁRIOS E PARTILHAS JUDICIAIS E EXTRAJUDICIAIS. CIENTIFICAÇÃO AOS DELEGATÁRIOS E AOS MAGISTRADOS CATARINENSES.



    É obrigação dos magistrados, delegatários de serventias extrajudiciais, interventores e seus prepostos consultar o registro central de testamentos on-line para lavratura de inventários e partilhas judiciais e extrajudiciais, nos termos da decisão prolatada nos autos n. 0002936-66.2016.2.00.0000, oriundos do CNJ.



Senhor Desembargador Corregedor-Geral do Foro Extrajudicial,



         1. O expediente administrativo foi instaurado a partir da intimação eletrônica decorrente do Pedido de Providências n. 0002936-66.2016.2.00.0000 em trâmite na Corregedoria Nacional de Justiça.



         Referido pedido foi formulado perante o CNJ pelo Colégio Notarial do Brasil - Conselho Federal (CNB/CF) e pelo Colégio Notarial do Brasil - Seção São Paulo (CNB/SP) no sentido de aprimorar a Resolução CNJ 35/2007, que disciplina a aplicação da Lei n. 11.441/2007 pelos serviços notariais e de registro.



         A Corregedoria Nacional de Justiça, com base em sua competência regimental, editou o Provimento n. 56, de 14 de julho de 2016 (DJe de 18 de julho de 2016), que dispõe sobre a obrigatoriedade de consulta ao Registro Central de Testamentos On-Line (RCTO) para processar os inventários e partilhas judiciais e lavrar escrituras públicas de inventários extrajudiciais, impondo-se a juntada de certidão comprovando a inexistência de testamentos públicos e termos de aprovação de testamentos cerrados.



         2. O Provimento n. 56, de 14 de julho de 2016, da Corregedoria Nacional de Justiça foi ratificado pelo Plenário do Conselho Nacional de Justiça, no julgamento do Ato Normativo n. 0002936- 66.2016.2.00.0000 (pág. 118), para ciência e observação aos responsáveis pelas unidades do serviço extrajudicial de notas, bem como da obrigatoriedade de eles promoverem a alimentação do Registro Central de Testamentos On-line.



         3. À vista do exposto, opino:



         a) pela expedição de Circular, com cópia deste parecer e da decisão de págs. 54-58, aos delegatários dos serviços de notas e escrivanias de paz do Estado de Santa Catarina, e a todos os magistrados catarinenses;



         b) para que cópia digital da decisão seja remetida à ANOREG/SC, na pessoa de seu presidente Miguel Angelo Zanini Ortale;



         c) pela publicação do ato, acompanhado da decisão do CNJ, no Portal do Extrajudicial, para ciência e observância dos termos da decisão prolatada no Pedido de Providências n. 0002936-66.2016.2.00.0000/CNJ, com recomendação expressa para que os titulares e respondentes deverão acessar o Registro Central de Testamentos On-Line (RCTO) para buscar a existência de testamentos públicos e instrumentos de aprovação de testamentos cerrados.



         d) pelo envio de cópia deste ato ao Conselho Nacional de Justiça, via sistema PJe, Pedido de Providências n. 0002936-66.2016.2.00.0000/CNJ, para ciência das medidas adotadas por esta Corregedoria, em atenção à decisão do Corregedor Nacional de Justiça;



         e) depois das providências indicadas, pelo arquivamento dos autos virtuais.



         É o parecer que submeto à apreciação de Vossa Excelência.



         Florianópolis (SC), 04 de dezembro de 2018.



Marco Augusto Ghisi Machado



Juiz-Corregedor



DECISÃO



Ação: Pedido de Providências



Requerentes: Corregedoria Nacional de Justiça - CNJ e outros



         Os autos versam sobre a obrigatoriedade, por parte dos magistrados e delegatários, de consulta ao Registro Central de Testamentos On-Line (RCTO) para processamento de inventários e partilhas judiciais e extrajudicais, prevista no Provimento n. 56/2016 da Corregedoria Nacional de Justiça.



         Acolho os fundamentos e a conclusão do parecer do Juiz-Corregedor Marco Augusto Ghisi Machado (págs. 59 e 60).



         Expeça-se circular aos juízes diretores de foro e aos com atribuição em família, sucessões e registros públicos, bem como aos chefes de secretaria e aos delegatários dos serviços de notas, divulgando a decisão do Conselho Nacional de Justiça (págs. 54 a 58).



         Dê-se ciência à ANOREG/SC.



         Expedida a circular, atente-se para a necessidade de posterior divulgação de seu conteúdo na página eletrônica desta Corregedoria.



         Encaminhe-se cópia do parecer, desta decisão e da respectiva circular ao Conselho Nacional de Justiça (Ato Normativo n. 0002936-66.2016.2.00.0000/CNJ), para ciência das medidas adotadas por esta Corregedoria.



         Cumpridas as determinações, arquivem-se os autos.



  Florianópolis, 6 de dezembro de 2018.



[assinado digitalmente]



Roberto Lucas Pacheco



Corregedor-Geral do Foro Extrajudicial



Sistema de Busca Textual - Versão 1.7.2 | Tribunal de Justiça de Santa Catarina 2017